O período entre dezembro e meados de abril é conhecido como o mais chuvoso do ano.

“Alguns municípios definem este período como Operação Guarda Chuva. Nesse sentido, todo síndico deve estabelecer ações preventivas para eliminar ou minimizar os riscos causados pelas chuvas nessa época”, afirma João Carlos Tobias, especialista em Segurança do Trabalho.

Anualmente, no período de outubro e novembro, o síndico profissional Nilton Savieto faz uma checagem completa nos condomínios que administra, em São Paulo. “Essa checagem deve ser feita obrigatoriamente”, diz.

Veja os itens para verificação:

• Limpar todos os ralos, grelhas, calhas nos subsolos, térreo e barrilete (topo do prédio).

• Colocar ou trocar as telas nos ralos das áreas comuns por onde passa água para rede pluvial: evita entupimento ao minimizar a quantidade de sujidade.

• Verificar todos os toldos, coberturas, telhados, luz piloto (no topo do prédio), antenas.

• Verificar a saúde das árvores, arbustos e solicitar na prefeitura as devidas podas. (Se suspeitar de risco de queda, acionar a prefeitura).

• Verificar se nas áreas comuns está afixada a placa de alerta conforme a NBR 5419/2015: “Não circular pelas áreas externas do edifício em caso de tempestade”.

• Fazer a revisão geral do gerador com troca de óleo, filtros e limpeza do tanque de combustível, após abastecer.

• Testar e verificar todo o sistema de iluminação de emergência, com revisão de lâmpadas e, em caso de baterias, se estas estão com vida útil adequada, caso contrário providenciar a troca.

• Revisar todos os quadros de elétrica.

• Conferir as bombas que fazem a retirada de água do prédio, as bombas de poços.

• Fazer a limpeza do poço do elevador, revisando se não há infiltração ou água empossada (ideal que tenham backup para emergência).

• Verificar se todo o encanamento está identificado para ação rápida, em caso de necessidade de fechamento imediato.

• Revisar o sistema de segurança abastecido pelo gerador, em caso de falta de energia.

• Revisar os portões, verificar se o sistema elétrico/eletrônico está protegido das chuvas e aterrado, além de estar sendo alimentado pelo gerador em caso de falta de energia.

• Limpar a tubulação de água de chuva e esgoto, caixas de esgoto no térreo e drenos nos jardins, fazendo com que fiquem livres e evitando problemas nos apartamentos mais baixos ou na área comum do prédio.

• Verificar a fixação de barreira mecânica.
• Verificar as condições de limpeza e impermeabilização de respiros de subsolos.

• Verificar o topo do prédio, garagens e térreo evitando que tenhamos vazamentos ou infiltrações.

• No caso de portaria virtual/remota, o síndico deve fazer uma reunião com a empresa para criar o procedimento de emergência para possíveis problemas de comunicação, como duplicar a forma de comunicar acesso em caso de falta de energia.

via sindiconet.com.br