O choro de bebês não está previsto na lei do silêncio. Portanto, o mais prudente é apelar para o bom senso.


Colunista Fernando Passos Gama

Na última rodada de negócios, organizada pelo Viva o Condomínio, uma pergunta suscitou um grande debate entre os presentes: como lidar com os barulhos que incomodam, mais especificamente como agir em casos de choro de bebês em condomínios.

Por isso, a seguir você irá saber um pouco mais sobre o tema.

Agir de forma diplomática e sem estresse é o caminho mais correto para lidar com o choro de bebês em condomínios. Como esse tipo de barulho não está previsto na lei do silêncio, ambos os lados precisam apelar para o bom senso.

Organizar uma conversa entre os condôminos e os pais; instalar carpetes e tapetes para abafar o ruído; ou, em casos mais extremos, providenciar a instalação de um isolamento acústico pode ajudar na situação.

Porém, como disse o nosso colunista, Fernando Passos Gama, no vídeo “choro de bebês em condomínio”, todos nós já fomos crianças um dia e já choramos bastante.

Veja o vídeo a seguir

Fonte: Redação Viva o Condomínio | Guilherme de Paula Pires | https://vivaocondominio.com.br