Um grupo de oposição pode contribuir muito, principalmente para que o condomínio se desenvolva melhor. Ganha-se com uma gestão mais empenhada, valorização patrimonial, melhora no clima.

"A oposição só serve para este fim: para que aquele que está na situação busque sempre fazer o seu melhor, o que é correto, não se acomode e implemente melhorias", afirma Marcio Spimpolo.

Uma oposição é saudável quando feita:

  • para discutir ideias e propostas visando ao bem coletivo
  • com críticas construtivas
  • de caráter colaborativo
  • por meio de diálogo respeitoso.

"O segredo para uma oposição ser saudável é focar na gestão e não na pessoa do síndico. Sempre com respeito, cordialidade, sem fazer juízo de valor", reforça Marcio Rachkorsky.

Sempre que um condômino tiver uma dica, observação, proposta, reclamação à gestão, estabelecer um diálogo respeitoso com o síndico é o melhor caminho. De que forma?

  1. Mandar e-mail bem estruturado ao sindico ou à administradora com suas ideias
  2. Marcar uma reunião com o síndico ou conselho para mostrar as ideias
  3. Marcar uma reunião com a administradora.

"Tem grupo que, antes de buscar o diálogo, já começa a fazer abaixo-assinadocarta anônima debaixo da porta, espalhar fofoca, boato. Há forma menos beligerante de se fazer oposição. Não precisa ser logo de cara o caminho da guerra", diz o advogado.

Quando as dúvidas são técnicas em relação a números, prestação de contas, Marcio Rachkorsky orienta a buscar a informação na fonte: a administradora.

"Marque um horário com a administradora para pontuar as dúvidas e obter as respostas. A tendência é que termine bem, com mais de 80% das dúvidas sanadas", explica.

Se houver má vontade, enrolação ou não fornecimento de informações e documentos, a oposição deve partir para uma estratégia mais formal e contundente: enviar notificação extrajudicial à gestão reiterando as solicitações já feitas, geralmente por assessoria jurídica, orienta Rachkorsky.

 

 

via sindiconet.com.br