Única forma de arrecadação do condomínio a taxa condominial garante o bom funcionamento do empreendimento. 

Por conta das festividades de fim de ano, e dos gastos do início do novo ano com escola, material escolar, quitação de dívidas relacionadas a viagens e outras situações, os meses de dezembro, janeiro e fevereiro são os que apresentam os maiores índices de inadimplência no condomínio.

Isso ocorre, entre outros motivos bastante particulares para cada condômino, geralmente por duas situações: a primeira é a dificuldade de relacionar a importância do pagamento da taxa condominial em dia com o bem-estar do condomínio, já que é por meio desse valor que os custos para a manutenção e melhoria do empreendimento serão pagos;

Em segundo lugar devido a entrada em vigor do novo Código Civil, em 2003. Isso porque, fruto de um dispositivo infeliz, como afirmam diversos especialistas, que reduziu a multa pelo atraso no pagamento da taxa condominial de 20% para 2%, se tornou vantajoso atrasar o pagamento da taxa para a quitação de outras dívidas. Se por um lado o novo Código Civil agilizou a possibilidade de penhora do imóvel para situações de inadimplência, por outro lado deixou parecer que dever a taxa condominial é um problema menor.

A taxa condominial é a única forma de arrecadação do condomínio

Condomínio não investe dinheiro em aplicações, não gera renda futura e não recebe valores oriundos de terceiros. Sua única forma de arrecadação é proveniente do pagamento da taxa condominial. E como o condomínio trabalha com rateio de despesas, se alguém deixar de pagar vai faltar dinheiro para a manutenção e melhorias do próprio imóvel.

Sendo assim, manter o pagamento da taxa em dia tem o potencial de valorizar o próprio imóvel, uma vez que todo o valor arrecadado fruto do pagamento da taxa será aplicada no próprio condomínio para melhoria das áreas comuns.

Tomar algumas medidas pode ajudar na diminuição dos custos do condomínio     

Quanto maior for a taxa condominial, maior a possibilidade de ocorrerem atrasos no pagamento. Por isso, uma boa saída para o síndico é baratear ao máximo, sem perder a qualidade de serviço, os custos mensais do condomínio. E uma das formas de diminuição das taxas é priorizar a manutenção preventiva em detrimento da corretiva. É muito mais vantajoso investir na prevenção, ou na manutenção de um equipamento, do que trocá-lo.

Outra possibilidade para a diminuição dos valores da taxa condominial é em relação à medição individualizada da água. Além de justa, uma vez que você passa a pagar por somente o que está consumindo, é econômica para o condomínio já que se deixa de incluir esse custo na taxa mensal.

Investir na contratação de uma garantidora também pode ser uma boa solução se o condomínio apresentar índices elevados de inadimplência. A vantagem para o condomínio, nesse caso, é a de arrecadar de forma integral a taxa condominial de todos os moradores, independentemente da taxa de inadimplentes. Já para o síndico, a contratação deste tipo de serviço evita o desconforto de efetuar a cobrança de porta em porta, podendo criar uma situação embaraçosa para ambos.

De qualquer forma, e entendendo os problemas particulares que por ventura passa cada condômino e que justifique o atraso no pagamento, manter a taxa condominial em dia é indispensável para todos.

Fonte: Guilherme de Paula Pires | Viva o Condomínio | https://vivaocondominio.com.br/