Existem vários episódios em que tudo torna-se desagradável como infiltrações no teto dos apartamentos, elevadores que de repente param de funcionar, esses são problemas comuns em condomínios e que podem ser evitados com a manutenção preventiva programada

Para evitar tudo isso deve ser realizado as manutenções. A manutenção preventiva programada é feita para reduzir a probabilidade de falha de uma máquina ou equipamento e até mesmo a ruína de serviços prestados.

É uma intervenção programada, prevista e preparada para antecipar a interrupção do funcionamento ou mesmo o mau funcionamento, ou seja, é um conjunto de inspeções, vistorias e testes para evitar que isso aconteça.

Em condomínios os principais itens que devem passar por manutenção preventiva são:

  • - Elevadores;
  • - Sistema de Combate à Incêndio e Pânico;
  • - Sistema de Proteção contra Descargas Elétricas;
  • - Instalações Elétricas;
  • - Bombas de água;
  • - Telhados, Calhas e Rufos;
  • - Pintura Externa.

ELEVADORES

É de grande importância manter um contrato de manutenção com empresa especializada em manutenção.

SISTEMA DE COMBATE À INCÊNDIO E PÂNICO

Este sistema deve passar por avaliações de funcionamento, feitas por profissionais habilitados e capacitados, anualmente. Pois é de grande importância o seu perfeito funcionamento durante uma emergência.


SISTEMA DE PREVENÇÃO A DESCARGA ATMOSFÉRICAS (SPDA)

O Brasil é o país com o maior número de descargas atmosféricas, assim sendo, é de grande importância que este sistema esteja em pleno funcionamento, porque do contrário pode levar a queima de equipamentos elétricos e até risco de morte aos condôminos.

Pode também a seguradora pode se recusar a pagar a indenização ao condomínio na constatação da ausência ou mau funcionamento do sistema.


INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

As instalações elétricas devem passar por inspeções anuais, principalmente em empreendimentos com mais de cinco anos de uso, pois ao passar dos anos as conexões elétricas podem perder o aperto e oxidar, ocasionando o mau contato, levando a quedas de energia, perda energética e incêndio nas instalações.

Outro grande problema são as alterações nos eletrodomésticos, principalmente o ar condicionado, que são alterados sem a devida adequação à demanda do edifício.

A extrapolação da demanda, calculada em projeto, leva ao funcionamento não eficiente e até mesmo a queda de energia.


BOMBAS DE ÁGUA

Existem vários tipos de bombas, as de recalque que levam a água do reservatório inferior ao superior, bombas de águas servidas, que geralmente se encontram submersas em caixas coletoras no subsolo e são responsáveis por levar águas de chuva e de limpeza para fora do edifício e também existe a bomba do sistema de combate a incêndio, que são acionadas para fornecer água com alta pressão às mangueiras dos hidrantes.

A falha de alguma destas bombas pode gerar a falta de água para os condôminos, alagamento do subsolo e até o não funcionamento do sistema de hidrantes.


TELHADOS, CALHAS E RUFOS

Estes itens devem ser vistoriados em curtos espaços de tempo, pois a falha de algum destes pode gerar infiltrações nos apartamentos superiores, entupimento das calhas e até problemas estruturais.


PINTURA EXTERNA

A pintura deve ser revista em um intervalo de 3 a 4 anos, para corrigir pequenas fissuras devido ao desgaste do tempo. A repintura evita infiltrações e mantém a valorização estética do empreendimento.

Implantar e praticar a manutenção preventiva nestes itens demonstra a preocupação com o condomínios e condôminos. Aumenta a confiabilidade devido ao menor número de paradas dos equipamentos. Diminui os custos , pois a boa manutenção leva os equipamentos a funcionarem com maior eficiência. Melhora a segurança porque equipamentos com a manutenção atualizada evita a possibilidade de comportarem de forma imprevisível.

Também é importante lembrar que estas manutenções devem ser realizadas por profissionais capacitados e habilitados, apenas estes podem garantir o serviço prestado.

Fonte: Síndico Legal