• Toda mudança exige sabedoria, flexibilidade e informação. Por isso, não tente convencer os outros se você mesmo não tem informações suficientes que provem o benefício das novas tecnologias no condomínio. Prepare-se com fatos, dados e argumentos para que os moradores consigam sair de uma zona de conforto sem medo de errar. Se você tiver um discurso rico de estatísticas fica mais fácil dos moradores deixarem a resistência de lado.

• As assembleias são o melhor ambiente para demonstrar o quanto as mudanças tecnológicas podem ser úteis ao condomínio e a seus moradores. É neste fórum que as decisões conjuntas são tomadas. Desta forma, se a comunicação sobre os processos que incluem a transformação digital não for clara o suficiente, não haverá avanços quanto à aprovação de mais tecnologia no condomínio.

• Procure dar ênfase na preparação dos moradores para o presente, mas já vislumbrando as possibilidades futuras que se abrem a partir da implantação de novas tecnologias.

• Durante a comunicação, invista tempo para tirar as dúvidas dos participantes. Isso evita que rumores, teorias e pessimismo que não agregam em nada fiquem circulando. Pelo contrário: eles reforçam as resistências.

• Além da comunicação, outro aspecto que gera adesão e convencimento é a oferta de treinamento.

• Mudanças de cunho tecnológico impõem que as pessoas aprendam sobre elas. Boa parte da resistência encontrada entre os moradores se deve ao fato de eles não se sentirem suficientemente capazes de entender o funcionamento das novas ferramentas disponíveis. Informe sobre a programação de cursos rápidos que facilitam o uso da tecnologia no condomínio.

• Coloque na programação, também, um canal exclusivo para que os moradores possam se manifestar sobre as mudanças provocadas pela utilização da tecnologia no condomínio. Isso passa segurança e comprova que eficiência da gestão condominial.

Fonte: tudocondo.com.br